onde tomar café da manhã no Rio

aonde tomar café da manhã no Rio de Janeiro melhor café da manhã do Rio Escola do Pão 4

Nos finais de semana, adoro sair pra tomar um café da manhã gostoso “na rua” aqui no Rio. É um programa que sempre tem outro na sequencia com algum aspecto cultural, seja uma exposição, um museu, ou um passeio pela natureza da cidade maravilhosa. Estes são meus lugares preferidos pra tomar café da manhã no Rio de Janeiro.   Escola do Pão Rua General Garzon, 10 - Lagoa (entre a Lagoa e o Jardim Botânico) (21) 3205-7275 O melhor e mais farto café da manhã do Rio. É na antiga casa do escritor José Lins do Rego, uma fofura de lugar. É bem Continuar lendo…

Caraíva – uma praia linda e escondida na Bahia

Caraíva Bahia praia rio

Dizem que as praias mais secretas aqui no Brasil são desbravadas primeiro pelos “hipongas”, depois vem a aristocracia, depois os franceses (ou americanos?). E assim as praias vão mudando de ar, de astral, de estabelecimentos, de preços, de caráter. Não foi assim com Trancoso? A boa notícia é que ali bem pertinho de Trancoso, no sul da Bahia, tem uma praia que AINDA está na fase dos meio hippies, meio desapegados, desencanados… E esta praia chama-se Caraíva. Em Caraíva não chega carro, muito menos avião. Só barquinho mesmo. Você estaciona o carro, paga pela travessia de canoa e pronto, chegou Continuar lendo…

Inhotim – o templo da arte contemporânea a céu aberto

Inhotim 13

É difícil definir Inhotim. Uma mistura de jardim botânico com museu e galerias, este templo das artes e da natureza, ainda impressiona com o paisagismo e a arquitetura. E a gastronomia não fica pra trás, o complexo também conta com ótimos cafés e restaurantes. Este enorme espaço cultural, que precisa de dois dias para percorrer, tem um acervo rico de arte contemporânea com artistas brasileiros e estrangeiros, além de espécies botânicas de todo o Brasil. Definir em poucas palavras? É o maior centro de arte contemporânea a céu aberto do mundo. É também o maior museu a céu aberto da América Latina. Continuar lendo…

restaurante Vieira Souto – um clássico italiano em Ipanema

DSC_0814-v2

Lembram do restaurante Gourmet Praia de José Hugo Celidônio em Ipanema? Aquela casa belíssima virou uma casa de eventos por um tempo e há pouco mais de seis meses, sem fazer muito buzz, virou o restaurante Vieira Souto em Ipanema, que já virou um endereço badalado da alta gastronomia carioca. No comando, uma equipe experiente: João Souza, um dos melhores sommeliers da cidade, ex- Terzetto e o maître Cadu Costa, ex- Gero. Na cozinha, os chefs Jessé Valentim e Claudio Mendonça. Para começar, a carta de vinhos é excelente, misturando rótulos renomados com bons custo-benefício. Não podia ser diferente, João, Continuar lendo…

roteiro cultural de Salvador, Bahia

DSC_0768-v2

Salvador tem uma cultura própria, enraizada no seu passado. Não há outro lugar no Brasil que vá tão a fundo na influência dos escravos africanos. É evidente na cor da pele, na cor da comida, no batido dos timbais, na tradição do candomblé, nas oferendas no mar. No meio deste sincretismo estão atrações culturais, passando pelos locais cantados, pintados, retratados e desfrutados por Caetano, Gil, Betânia, Gal, Caymmi,  Carybé, Pierre Verger… Este é o meu roteiro cultural de Salvador para você.   MAM – Museu de Arte Moderna Arte dentro de um contexto colonial com vista para o mar, com Continuar lendo…

restaurante Maní – alta gastronomia com filosofia

DSC_0957-v2

Vou ser sincera. Não foi o título de Restaurante do Ano, pela revista Prazeres da Mesa nem o fato de que subiu 23 posições e está na 51ª colocação do ranking World’s 50 Best Restaurants da revista inglesa Restaurant, que me atraia ao Maní.   O que me encanta no restaurante Maní da chef Helena Rizzo é a filosofia. Ela usa produtos nativos que vão dos produtores para a cozinha. O queijo da Serra da Canastra, arroz orgânico do Sul, farinha de mandioca pernambucana, a araruta do Recôncavo Baiano… Ela prioriza não só produtos orgânicos, mas saudáveis. E a paixão. Continuar lendo…

Antony Gormley – arte sobre o corpo e o espaço

gormley-predio

O centro de São Paulo foi “invadido” por esculturas de figuras humanas de ferro. São as obras do artista londrino Antony Gormley, moldadas no seu próprio corpo. Além das esculturas estarem espalhadas pelas ruas do centro, estão também em coberturas de edifícios, invisíveis aos que só olham para o chão e avante, porém interessante e até divertido para quem parou para olhar para o céu. As obras também estão expostas no Centro Cultural do Banco do Brasil de São Paulo, mostrando o trabalho deste artista contemporâneo premiado internacionalmente, com obras expostas na Bienal de Veneza e Documenta de Kassel (importante Continuar lendo…