bahla

Omã, onde o horizonte é feito de tamareiras, mar e montanhas

Enquanto seus vizinhos se orgulham de arranha céus, hotéis de luxo, os maiores shoppings do mundo, marcas de grife e muito luxo artificial, o Sultanato de Omã não tem pretensão de ser o maior nem o mais em nenhum quesito. O que ele tem, sim, em comum com seus vizinhos é a limpeza e organização. Esta terra árabe de mares límpidos, montanhas, natureza, mercados e (até agora) poucos turistas foi uma agradável surpresa na minha volta ao mundo.

Muscate Omã

 

Muscate Omã

O país pode estar em desenvolvimento, mas diferente das construções de petrodólares dos Emirados e Catar, o cenário de montanhas vermelhas e águas azuis destoam.

Bem mais low profile, o crescimento de Omã começou na década de 70 e o turismo só na década de 80, oferecendo uma natureza vasta com praias límpidas, desertos vastos, montanhas imponentes e fortalezas históricas.

Muscate, a capital, abriga a imensa e bela mesquita Sultan Qaboos Grande Mosque, com seu reluzente lustre de cristais Swarovski, com quase 8 metros de diâmetro.

Muscate Omã mesquita Sultan Qaboos Grand Mosque

Muscate Omã mesquita Sultan Qaboos Grand Mosque

Muscate Omã mesquita Sultan Qaboos Grand Mosque

Minha reação foi a de ficar de pé, com quase uma torcicolo, olhando pra cima, boquiaberta, admirando a cúpula, elevada a 50 metros de altura.

Com capacidade pra 20,000 fieis, cabem mais pessoas dentro da mesquita do que a população de muitas cidades do país.

A decoração não para por aí. Você anda sob um longo tapete persa feito a mão durante 4 anos por mais de 600 mulheres com uma estamparia divina.

Muscate Omã mesquita Sultan Qaboos Grand Mosque

Não muçulmanos podem visitar todos os dias menos sexta, de 8h00 às 11h00, vestidos adequadamente. Mulheres devem cobrir cabeça, pulsos e tornozelos.

O palácio real Qasr Al Alam é onde mora o Sultão. É proibido entrar, mas vale a visita até o portão, tanto de dia quanto à noite pra admirar a arquitetura e a iluminação.

Muscate Omã palácio Al Alam

 

Muscate Omã palácio Al Alam

roteiro Omã

Toda cidade árabe tem mesquitas e mercados. Muscate não é diferente. O Mutrah Souk (“souk” é palavra pra mercado em árabe), na Corniche, orla da cidade, tem uma variedade de artesanato e especiarias. Homens de vestidos típicos brancos e chapéus rendados e mulheres de abayas carregando crianças transitam sendo pra vender ou comprar. Lá você encontra especiarias, incensos, bijuterias, lenços, roupa e objetos de decoração.

roteiro Omã Muscate mercado souk

O que ficou faltando foi ver um concerto na belíssima Royal Opera House.

roteiro Omã Muscate Royal Opera House

 

roteiro Omã Muscate Royal Opera House

Alguns hotéis tem praias privadas, como o luxuoso Ritz Carlton Al Bustan Palace. Com jardins e praias extensas, o hotel, apesar de ter a opulência de um palácio, tem uma calmaria pra relaxar. A água é limpíssima, com uma banho de mar pra revigorar qualquer um. A arquitetura do hotel é esplendorosa – colunas de mármore, peças de arte, cheiro de incenso…

Al Bustan Palace hotel Ritz-Carlton em Muscat OmãAl Bustan Palace hotel Ritz-Carlton em Muscat OmãAl Bustan Palace hotel Ritz-Carlton em Muscat Omã

Mas é preciso sair de Muscate pra ver as demais belezas naturais de Omã.

roteiro Omã

Saindo de carro de Muscate, em direção a Soha na Costa Al Batina, não tem como não se encantar com as montanhas terracota no horizonte.

Os Omanis comparam as montanhas Al Hajar com a coluna vertebral humana, formando um arco estendendo do noroeste para o sudeste.

É nesta região que fica a cidade de Sohar (200 km de Muscate), que foi uma capital de Omã antes mesmo da chegada do islã, uma cidade exportadora de cobre.

roteiro Omã Sohar

Em Sohar, uma cidade de pescadores, o dia começa cedo com o mercado de peixes.

Foto: Manar Al Harthi

Foto: Manar Al Harthi

Foto: Sekitar

Foto: Sekitar

Foto: EHM

Foto: EHM

O Forte de Sohar foi uma das fortalezas mais importantes por conta da localização, assim como o Castelo de Sohar, construído durante a ocupação portuguesa.

roteiro Omã Sohar

A verdadeira beleza das montanhas Al Hajar está no vilarejo de Nizwa (140 km de Muscate), a belíssima porta de entrada para o interior intacto de Omã.

roteiro Omã Nizwa

Ao atravessar o muro, a energia dos mercados contagia. Tem criança vendendo galinha, peixe fresco sendo cortado, frutas e verduras à mostra.

roteiro Omã Nizwa

 

Nizwa é uma das cidades mais antigas de Omã e foi das mais importantes para o comércio, arte e religião, ou seja, um centro cultural e econômico. Situada na base das montanhas Hajar, entre tamareiras verdejantes, seu souq (mercado) toda sexta feira dá um colorido diferente pra cidade. O Forte de Nizwa é uma experiência cultural e histórica, com ambientes bem conservados e uma bela vista da cidade.

Mesmo que não chegue lá numa sexta feira, dentro do forte tem um mercado com vendedores de carne, verduras, cerâmica, artesanato e doces.

roteiro Omã Nizwa

roteiro Omã Nizwa

roteiro Omã Nizwa forte de Nizwa mercado souq

roteiro Omã Nizwa forte de Nizwa mercado souq

 

O curioso é que só tem homens no mercado. Sabendo que em países muçulmanos o papel da mulher é particular, perguntei a meu guia, pai da família que me hospedou, porque eu não via mulheres locais. Abdel me respondeu que culturalmente os homens fazem as compras e as mulheres tomam conta dos filhos e da cozinha.

roteiro Omã Nizwa

Ou seja, as poucas mulheres que vi eram turistas. Vestir-se cobrindo ombros, decote e joelhos é questão de bom senso e respeito.

De acordo com Abdel, o mercado de sexta feira é meio caótico, com vacas, cabras, estrume e moscas.

O Forte de Nizwa funciona de Sábado e quinta, das 9hs-16hs e sexta das 8hs – 11hs.

 

O passeio de carro até as Montanhas Al Jabal Al Akhder ou Montanhas Verdes é de muita paz e ar puro. Vilarejos se escondem e aparecem, a vista das montanhas é vasta e a temperatura cai bruscamente.

roteiro Omã montanhas Al Jabal Al Akhder Green Mountains montanhas verdes

 

roteiro Omã Oriente Médio montanhas Al Jabal Al Akhder

 

roteiro Omã Oriente Médio montanhas Al Jabal Al Akhder

 

roteiro Omã Oriente Médio montanhas Al Jabal Al Akhder

Os vilarejos ainda usam um sistema de irrigação milenar, o sistema “falaj”. Na época certa as rosas florescem em cores e tamanhos incríveis.

roteiro Omã montanhas Al Jabar Al Akhder

 

roteiro Omã Oriente Médio montanhas Al Jabal Al Akhder sistema de irrigação

Tem uma mágica e um mistério que ronda por ali, a antiga capital do país, onde tamareiras se mesclam com casebres, roseiras e cabras andando pelas árvores.

 

Bahla é uma cidade de muros de barro, o mesmo material pelo qual é conhecida. Arte de vários formatos estampam a cidade antiga.

O Forte de Bahla é o mais antigo do país e é Patrimônio Cultural pela UNESCO.

roteiro Omã Oriente Médio Bahla castelo

Perto de Bahla e Nizwa tem o Castelo de Jabreen, um exemplo de arquitetura islâmica com belas inscrições de madeira.

roteiro Omã Oriente Médio Jabreen castelo

 

A beleza natural de Omã se estende no mar. Existem passeios de barco pra observar golfinhos saindo de Muscate e Musandam.

foto: James Kinross

foto: James Kinross

foto: Karl Drilling

foto: Karl Drilling

 

Para degustar uma refeição à moda local, é importante tirar os sapatos, hábito ao entrar também nas casas e mesquitas, sentar o no chão e esperar um belo cordeiro com arroz que será servido numa bandeja grande para ser apreciado com as mãos.

roteiro Omã comida no chão comer de mão

 

Quando ir a Omã

A melhor época para visitar Omã é de dezembro à março quando as temperaturas e umidade não fazem você suar incessantemente.

Como (quase todo) país árabe, Omã mantém sua cultura e patrimônio vivos, portanto é um país bastante religioso, com as regras que vêm com isso. Bebida alcoólica, só em hotéis, vestimentas mais sóbrias e cobertas são de bom tom.

Ao interagir com locais, saudá-los com o “salaam aleikum” (na tradução literal – que a paz esteja sobre você) e agradecê-los com um “shukran” traz um sorriso no rosto e faz a diferença.

O povo Omani, apesar de introvertido, foi um dos mais simpáticos que conheci. Fui recebida sempre com respeito e ninguém negou uma conversa ou uma foto.

roteiro Omã Oriente Médio montanhas Al Jabal Al Akhder

Informações práticas:

Brasileiros podem obter o visto na chegada para uma permanência de até 30 dias.

A melhor forma de viajar pelo país é de carro.

 

5 thoughts on “Omã, onde o horizonte é feito de tamareiras, mar e montanhas

  1. OLA, ESTOU VIAJANDO PARA OMA E GOSTARIA DE ALGUMAS POUCAS INFORMACOES COMO, VOCE FICOU QUANTOS DIAS? VOU FICAR 2 DIAS INTEIROS. VOCE FEZ TUDO DE CARRO? FACIL ESTACIONAR? TIREI A CARTEIRA DE MOTORISTA INTERNACIONAL PARA VIAJAR PELA EUROPA. ESSA TAMBEM VALE EM OMA? NA VERDADE TENHO MUITO MAIS DUVIDAS, MAS NAO QUERO INCOMODAR TANTO. OBRIGADO.

    • Olá Rene, em Omã eu estava com a família de uma amiga. Se quiser, te envio o contato de uma operadora que conheço por lá.
      abraço

      • oiii, estou indo para o oman em 2 semanas, voce pode me recomendar alguma operadora para fazer passeio? obrigada

  2. olá, vou viajar para sohar em janeiro visitar minha irmã que mora lá, na hora de pegar o visto eles pedem para saber quanto de dinheiro vc está levando? ou não?
    obrigado.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *


two × 2 =

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>