Ásia

o que ver em Hong Kong

Vibrante, colorida e populosa, Hong Kong é uma metrópole asiática conhecida pela gastronomia, compras, negócios e a porta de entrada para a China.

Há quem diga que ela perdeu sua verdadeira identidade, não só por ter sido regida pela Inglaterra, mas por ser tão multicultural, atraindo expatriados do mundo inteiro.

Por um lado, este argumento tem fundamento, há (bons) aspectos de Hong Kong que lembram Londres e a Inglaterra que a tentaram transformar, mas se você fuçar pelas ruas e dig deeper (cavar mais fundo), verás traços fortes da China que ela sempre foi.

No geral, os negócios vão bem, obrigada. Os banqueiros continuam gastando seus dólares em bares e restaurantes nas alturas com drinques caros, as mulheres disputam quem é mais elegante ou fashionista, e tudo que você ama na Europa tem lá – restaurantes, bares, museus, galerias, lojas e infraestrutura.

Grandes chefs estão por todos os lados (Robuchon, Nobu, Zuma, etc), galerias de arte como a inglesa White Cube tem uma filial por lá e todas as grifes marcam presença em diversas partes da cidade. Ou seja, muitos se sentem obrigados a estar sempre bem vestidos, independente do calor.

Mas Hong Kong tem algo para todos. A maioria quer viver o high life do circuito Helena Rubinstein na versão chinesa, mas a cidade continua a oferecer cultura local para os desencanados.

 

Mas então, o que fazer em Hong Kong?

Pegar um barco a noite e ver o colorido da cidade, o reflexo da água e o show das luzes. Eu fui no barco Aqua Luna e adorei.

Pegar o Star Ferry pra cruzar da ilha de Hong Kong pra Kowloon. É super barato, tem uma linda vista e você vive a cidade como os locais (e milhões de expatriados).

Ver a vista de Victoria Peak. Você sobe e desce de bonde (a fila as vezes é bem longa) e vai até um espécie de shopping com restaurantes e lojas e na cobertura tem um observatório com uma linda vista da cidade.

Outro lugar pra ver a vista da cidade é o Sky 100 observatory em Kowloon, no topo do prédio ICC, no shopping Elements Mall (parada de metro: Kowloon).

 

O mundo das artes está em voga com a chegada da edição Art Basel Hong Kong. Visite as galerias de arte na Pedder Street, no prédio onde fica a Abercrombie & Fitch, tem várias, uma em cada andar, todas muito boas, são elas:

Ben Brown
Lehman Maupin
Hanart TZ
Pearl Lam Gallery
Gagosian

A White Cube fica ali perto, na rua Connaught Road.

 

Ande pela Hollywood Road que tem artigos chineses e antiquários, ela é a rua do Templo Man Mo e dá na famosa Ladder Street, uma rua de escadarias.

 

A rua Upper Lascar Row, conhecida como Cat Street tem um mercado de pulgas com souvenirs, antiguidades e bugingangas.

 

As ruas Wellington Street e Graham Street tem mercados de frutas, verduras, peixes, carnes, tofu feito na hora, com restaurantes simples de mesas de plástico. Aqui você verá a vida chinesa como ela é. Claro, foi um dos lugares que mais gostei.

A Wellington Street também tem bares, galerias e lojas.

 

A Gough Street tem lojas trendy como a Visionaire, a Homeless, a Museumpark e a Tikka, e bons restaurantes.

 

A Aberdeen Street também tem lojas, restaurantes, cafés e uma patisserie francesa maravilhosa, a 126 grammes.

 

Outros mercados de rua são o  MongKok, conhecido como Ladies’ market (na rua Tung Choi) e Jade market, ou mercado de jade, que tem muitos acessórios não só de jade, mas pérolas e outras pedras, assim como objetos de decoração. Cuidado que tem muita coisa falsa.

 

Suba a escadaria pra ver o Big Buddha e em seguida, o Monastério Po Lin. É bom ir pela manhã quando tem menos gente, eu sai do meu hotel as 8 e cheguei lá depois das 9hs e foi o melhor horário. A estátua do buda gigante é um templo e tem que subir uma boa escadaria pra vê-lo de perto. Naquele calor e com aquela umidade, não tem como não pingar de suor, mas vale a pena. Logo ao lado fica o monastério. O passeio dura entre 3 e 4 horas. Pegue o metro até a estação Tung Chung e na saída pegue o bondinho.

 

Saindo do Big Buddha, visite a vila de pescadores Tai O. As casas são flutuantes, de palafitas e tem muitos mercados e passeio de barco pra ver golfinhos. Dá até pra esquecer que você está tão perto da metrópole.

 

Tem outros passeios que meus amigos que moram lá me recomendaram, mas não tive tempo de fazer, como estes:

Jardim Nan Lian e Templo Chi Lin Nunnery:  Fica em Kowloon, na estação de metro Diamond Hill.

Para comer peixe fresco: Praia South Bay, Clear Water Bay, Tai Long Wan e Sai Kung.

Stanley market – tem restaurantes, bares e artesanato. Fica na ilha de Hong Kong e pode ir de taxi.

Monastério de 10.000 Buddhas. Fica em Kowloon, na estação Sha Tin.

 

Compras em Hong Kong:

Queens Road e shopping Landmark – lojas de grife e marcas internacionais.

Hollywood Road e Cat Street pra antiguidades e artigos chineses.

Jade Market – pra acessórios, pérolas, pedras e bijuterias.

IFC Mall – outro shopping com todas as marcas internacionais, não perca a loja de departamento Lane Crawford, uma mistura de Nordstrom com Selfridges.

 

Outras lojas trendy e locais:

Fungus Workshop 

Uma mistura de loja de artigos de couro, roupa, acessórios, arte e escrita com um núcleo criativo de lifestyle e ateliê. A loja também oferece workshops diversos.

4 Po Hing Fong, Sheung  Wan , Hong Kong
terça, quarta e quinta das 18hs – 21:30hs, sábado e domingo das 12hs – 19hs

foto: divulgação

 

Kapok Shop 

Esta é uma daquelas lojas com coisinhas que você não acha em qualquer lugar – artigos com design bacana, cadernos, velas, sabonetes, chás, tudo com uma embalagem e comunicação visual lindos.

5 St Francis Yard & 3 Sun Street; shop 101, k11 Art Mall, Wan Chai

 

Dream Nation 

Não é só mais uma loja interessante de roupas e acessórios. A Dream Nation faz curadoria de projetos de estilistas, artistas, músicos e sempre tem eventos interessantes.

2/F, Hong Kong Arts Centre, 2 Harbour Road, Wan Chai

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *


8 + four =

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>