Ásia

hotel Ceylon Tea Trails, um Relais & Châteaux na Sri Lanka

Se você gosta de chá, um cardápio gourmet e uma boa carta de vinhos, todos aprovados pelo Relais & Châteaux, em um lugar fora do caminho comum, o hotel Ceylon Tea Trails na Sri Lanka te encantará.

Situado no vale de Bogawantalawa, o Ceylon Tea Trails é o primeiro hotel de bangalôs de chá do mundo e o primeiro Relais & Châteaux da Sri Lanka (tem outro com inauguração prevista para maio de 2014). Numa altitude de 1250 metros, os bangalôs tem vista para as plantações de chá e um lindo lago cercado por árvores de eucalipto.

O conceito tem uma grande influência britânica, afinal estamos em uma ex-colônia. Basta dizer que Nuwara Eliya, outra cidade produtora de chá nesta região é conhecida como “Little England” (pequena Inglaterra). A decoração é colonial e tudo gira em torno do chá.

Ao chegar no Ceylon Tea Trails fui recebida pela equipe, que faz de tudo pra você se sentir em casa. Um deles era o meu mordomo, que disse que estaria tomando conta de mim durante a minha estadia. Como não se sentir como uma princesa?

 

Fiquei hospedada no bangalô Norwood, em uma suíte com varanda e vista para o jardim e piscina. O silêncio era simplesmente calmante. Os quatro bangalôs são distantes um do outro, ou seja, você só vê e interage com os hóspedes do seu bangalô, mas pode almoçar ou jantar em outro.

Cada casa de campo tem apenas cinco quartos, tornando o ambiente, mais do exclusivo, íntimo. O serviço é bem detalhista, desde a apresentação dos pratos (sempre com a folhinha de chá), o cuidado do staff, o quarto limpo duas vezes por dia, à noite a cama arrumada com uma folhinha de chá na dobra do edredon… Tudo feito com muito carinho.

A decoração me fez sentir em uma casa colonial britânica, como se eu fosse uma hóspede na casa de uns amigos. O quarto é espaçoso, com uma cama coberta com um mosquiteiro, poltronas e escrivaninha com vista para o jardim.

No banheiro, o piso de ladrilho e banheira são muito charmosos.

O quarto nem tem chave – alguém já viu isso?

 

O dia começa com chá servido no quarto pelo mordomo, que também oferece o preparo de um banho de banheira. Me belisca – em que século e aonde estou?

 

O café da manhã é discutido na noite anterior – frutas? Ovos? Suco? E na manhã seguinte está tudo delicadamente preparado, com opções saudáveis, orgânicas, assim como as gordurosas que os ingleses gostam.

Você tem a opção de fazer passeios, trilhas, banho de piscina ou simplesmente curtir o sossego do hotel. Você pode ser ativo ou preguiçoso, o quanto quiser, não faltam atividades e não falta calmaria pra ler um livro.

Você pode fazer trilha pelas plantações de chá (o que adorei, pra ver e sentir a vida local), visitar uma fábrica de chá, ir até a cidade de Kandy, subir o imenso Adam’s Peak (a depender da época), conhecer a cidade vizinha de Nuwara Eliya e Hatton, ou nunca sair do jardim ou o sofá do hotel.

A sala com lareira tem um bar, ótimo pra tomar um drinque, conversar e ver os livros que ficam na mesa. Adorei o livro da Dilmah, maior produtora de chás da Sri Lanka com receitas feitas com chá.

Tem outra sala menor, uma pequena biblioteca que também é um lugar gostoso de ficar pela tarde.

Antes de cada refeição, o chef vem discutir os pratos com o hóspede. Me belisca de novo – personal chef? Amei. É durante as refeições que você nota a diferença de um Relais & Châteaux, onde existe um foco na gastronomia. Os pratos tem produtos frescos, inclusive verduras e ervas da horta, com mistura de ingredientes ocidentais e orientais (as especiarias da Sri Lanka são maravilhosas), tudo muito saboroso.

 

O hotel aceita crianças, mas não tem atividades nem espaço específico para elas. Vi crianças lá, mas não sei se é um lugar interessante pra elas. Sei que tem passeios, inclusive para ver elefantes, mas em geral, achei o ambiente mais propício para casais, principalmente pela tranquilidade.

As diárias incluem todas as refeições (café da manhã, almoço com 3 pratos, chá da tarde, coquetéis antes do jantar, jantar com 3 pratos), seleção de vinhos, cerveja e refrigerantes, café e chá, destilados e licores, lavanderia, wi-fi e tour pelas plantações e fábrica de chá.

Com este charme vintage, serviço impecável, ambiente lindo e comida gourmet, o Ceylon Tea Trails é tudo o que eu esperava de um Relais & Châteaux, com um adicional – no meio das plantações de chá da Sri Lanka, um destino menos explorado, fazendo degustação de chá. E se sentir em casa longe de casa é uma sensação ímpar, principalmente quando você está viajando há meses seguidos. Difícil foi me despedir deste lugar delicioso.

Diárias a partir de US$ 500.

Recomendo o Ceylon Tea Trails para casais, pra quem gosta de aventura, destinos exóticos e para apreciadores de chá.

 

Quando ir:

Por conta da altitude, neste região não faz tanto calor quanto nas demais cidade da Sri Lanka, então é um lugar que você pode ir o ano todo. Porém, a melhor época é de dezembro a abril. A época de chuva é de outubro a dezembro, mas peguei um pouco de chuva em julho.

Como chegar:

A cidade mais perto é Hatton, no centro da Sri Lanka. O hotel fica na vale Bogawantalawa.  A melhor forma de chegar é de carro. O aeroporto de Colombo fica a 175 km (3 horas de carro). Aconselho pegar um carro com motorista e viajar por outras cidades e ir até o Ceylon Tea Trails.

Estive no hotel Ceylon Tea Trails pela Plantel Turismo.

Hotel Ceylon Tea Trails
Relais & Châteaux
Bogawantalawa Valley, Sri Lanka
+94 11 774 5700
www.teatrails.com
www.facebook.com/TeaTrails
twitter.com/teatrails
instagram.com/ceylonteatrails

3 thoughts on “hotel Ceylon Tea Trails, um Relais & Châteaux na Sri Lanka

  1. AMIGA, QUE LUGAR MARAVILHOSO! NOSSA, PARECE UM SONHO ESTAR NUM HOTEL CERCADO POR PLANTAÇÕES DE CHÁ… HUMMMM! MAS A DIÁRIA NÃO CABE NO MEU BOLSO. QUEM SABE EM OUTRA ENCARNAÇÃO QUANDO EU VIER VOCÊ E VOCÊ VIER COMO EU? KKKKK. BEIJOS E MUITAS SAUDADES!!!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *


three + 7 =

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>