argentina

aires muy buenos

A história mais recente da Argentina é sempre lembrada com uma verdadeira gangorra econômica, com altos e baixos, crises políticas, que invariavelmente resultam em manifestações em frente à Casa Rosada.

Nestas flutuações políticas e econômicas, uma coisa permaneceu e é constante: a elegância e o lado cool, hip e cosmopolita de Buenos Aires.

Essa cidade efervescente atrai todas as tribos: os gastronômicos, designers, amantes de moda e arte, os baladeiros, os que querem fazer compras aqui pertinho do Brasil, os que buscam requinte, os carnívoros e os enólogos wannabe (like me).

A vida noturna é desenfreada, o estilo, moda e design são de ponta, o vinho é dos melhores do Novo Mundo, objetos de couro estão por todos os lados, o dulce de leche é quase proibitivo de tão gostoso e a moeda desvalorizada.

Junte tudo isso e você tem uma viagem boa, bonita, barata e perto!

E por isso ao voltar de Buenos Aires, eu só me perguntava – porque demorou tanto para te conhecer, querida?

Minha única desculpa de ainda não conhecer Buenos Aires é que nos últimos 10 anos, eu só vinha para o hemisfério sul para visitar minha família no Brasil e, portanto, não viajava muito por aqui. Até agora. E isso já está mudando.

Mesmo com tanta incerteza econômica, o que me surpreendeu e me encantou, foi a criatividade dos Porteños. As lojas, restaurantes, boutiques, hotéis, lojas de vinho, gastronomia minimalista, design e moda atualíssimos, tudo, nada deixa a desejar e não deve nada a São Paulo, Nova York ou Berlim.

Como não se apaixonar por Buenos Aires?

E não há só o chique, há também o autêntico, local, pé no chão.

Como o colorido do bairro La Boca,

as antiguidades de San Telmo, uma empanada com uma Quilmes.

O requinte está em Recoleta, com hotéis tradicionais e luxuosos como o Alvear Palace, o Park Hyatt Duhau.

O bairro da moda é o Palermo, com suas subdivisões Hollywood, Soho e creia, Queens. Onde os amantes de design de todos os tipos babam pelas vitrines, paredes e ruas. E onde ficam vários hotéis boutique e albergues pra lá de descolados.

Quem é das artes tem muitos museus pra explorar como  Museo Nacional de Bellas Artes (Avenida del Libertador 1473; www.mnba.org.ar; fechado  nas segundas; gratuito),  Malba- Museo de Arte Latinoamericano de Buenos Aires (Avda. Figueroa Alcorta 3415; www.malba.org.ar; fechado nas terças; tarifa adultos 22 pesos). Os brasileiros têm forte presença no MALBA, a principal sendo Tarsila do Amaral com Abapuru. Tem também o Museo de Arte Moderno de Buenos Aires ( Av. San Juan 350; www.museodeartemoderno.buenosaires.gob.ar/; aberto todos os dias, tarifa 1 peso, terça entrada gratuita).

De dia, os passeios turísticos tradicionais incluem a Casa Rosada a Plaza de Mayo. A Casa Rosada é o equivalente da Casa Branca, só que com uma tonalidade mais feminina e a presidente não vive lá, apenas trabalha. A Plaza de Mayo é uma praça histórica onde muito eventos políticos e manifestações aconteceram e ainda acontecem. Até hoje as mães dos desaparecidos protestam ali.

foto: Ruy Barbosa Pinto

Uma caminhada pela Avenida de Mayo te mostrará uma linda arquitetura de Buenos Aires.

O cemitério de Recoleta é outro ponto turístico. Por mais estranho que posso soar, é um lugar interessante. Mesmo sendo um cemitério. Até porque Evita Perón foi enterrada ali. Além de ter gatos andando por todos os lados, é um cemitério diferente, dividido em “quartos” ou pequenos espaços como pequenas casas, com porta e tudo onde famílias inteiras são enterradas juntas.

Ali pertinho do cemitério está a Basílica do Pilar (igreja de Recoleta) com lindos vitrais e preste atenção nas janelas – elas são de mármore.

Puerto Madero é um bairro mais moderno, no porto de Buenos Aires, com uma imensa calçada com bons restaurantes e prédios de alto padrão sendo edificados non-stop e onde está e o famoso hotel Faena decorado por Philippe Starck.

E onde está a única obra do arquiteto Santiago Calatrava na América Latina. É a Puente de la Mujer, uma das cinco pontes que liga Madero Leste a Madero Oeste, inaugurada em 2001.

San Telmo é o bairro mais antigo, repleto de antiquários, cafés, bares e lojas que na verdade mesclam o velho com o novo. Aos domingos tem uma feirinha de artesanato com apresentação de tango na Plaza Dorrego. O legal é andar pela rua Defensa de cima abaixo e entrar aqui e ali.

Para ver uma explosão de cores, ande pelo bairro La Boca, conhecido pelas casas coloridas, pelo clube de futebol Boca Juniors e… segure a sua bolsa – por não ser o bairro mais seguro.

Mas cheio de artesanto e arte local.

Foi essa mistura de tradição e modernidade, comida deliciosa, ambiente cosmopolita, arte e design por muitos lados que me fez apaixonar-me por Buenos Aires. E também o fato de você olhar para um prédio em Recoleta e achar que poderia estar em Paris,

e sentir-se em Nova York enquanto olha as vitrines de Palermo Soho.

8 thoughts on “aires muy buenos

  1. Ameiii nosso encontro em BUE! Quero voltar soon e fazer mendoza tmbm ;)
    So um detalhe…o Faena esta em Puerto Madero, nao Recoleta. Bjjoooooo misss u!

  2. Wowwwwwwwwwww !!!…

    Adorei o novo cabeçalho.

    Charming, sugestivo, classudo…

    Congrats filhota.

    beijao,

    :):):)…

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *


5 × = forty

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>